A História dos Esteróides Anabolizantes

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A História dos Esteróides Anabolizantes

Mensagem por Victor Z. em Sex Jul 01, 2011 4:16 pm

Pessoal, traduzi este interessante artigo sobre a história sobre os EAs do steroids.com e estou compartilhando com vcs, espero q gostem. Aborda o desenvolvimento dos EAs de forma geral, como td começou, as injustiças feitas com eles durante todas as últimas décadas, e mais um monte de informações interessantes. Abraço!!

---

A HISTÓRIA DOS ESTERÓIDES ANABOLIZANTES

A história dos esteróides é imersa nas profundezas do passado, como poucos conhecem. A história moderna dos esteróides anabolizantes começou no início do século 20, mas para pesquisarmos suas origens devemos voltar ainda mais no tempo, para uma verdadeira viagem na história. Temos que voltar à Grécia antiga e só então poderemos totalmente compreender a magnitude e influência que os esteróides anabolizantes têm tido ao longo da história.

O início de tudo

O mundo como conhecemos não sabia o que eram os esteróides anabolizantes até o século 20, mas o uso de pura testosterona pode ser rastreada até os primeiros Jogos Olímpicos, onde o hormônio testosterona já era conhecido, e ele é o responsável pela formação de todos os esteróides anabolizantes. Os primeiros atletas olímpicos, aqueles que podemos chamar os pais do atletismo moderno, eram conhecidos por ingerir testículos de animais antes de uma competição, às vezes por longos períodos durantes os treinos. É duvidoso compreender corretamente que nossos antepassados haviam ​entendido o que estavam fazendo, mas por incrível que pareça eles estavam no caminho certo. Se questiona até os dias de hoje quem primeiro pensou nessa ideia inovadora, a ideia de comer testículos de animais, fato suficiente para fazer qualquer estômago embrulhar. Hoje em dia o mesmo poderia ser dito, há uma vantagem para se ter pessoas dispostas e estas vão pagar pra ver. Se levarmos ao pé-da-letra, "Doping no Esporte" vem acontecendo há milhares de anos...!

Nova Era

Em 1849 um homem que podemos chamar o pai da moderna endocrinologia, o alemão Arnold Adolph Berthold, primeiro trabalhou removendo testículos dos galos em uma espécie específica, concluindo que houve uma perda das características masculinas comuns à espécie. Isto levou a uma compreensão mais adequada da importância dos testículos masculinos, na medida em que eles carregam os fatores que simplesmente fazem os homens serem homens.

Berthold levou sua experiência a um passo adiante: a remoção dos testículos de galos e transplantá-los no abdômen. Ao fazer isso, ele determinou que as funções sexuais dos pássaros eram em grande parte afetadas, mas uma vasta série de capilares (1) foram formados em conexão, levando à conclusão de que a maneira pela qual os testículos agem tem correlação direta com o sangue. (2)

Para uma maior compreensão dos esteróides anabolizantes como os vemos hoje, as experiências de Berthold não derramaram uma luz comparável à que estava ainda por vir, mas foi o primeiro passo para o início do entendimento, não deve ser ignorado.

Um verdadeiro começo

Para traçar a história dos esteróides como os conhecemos hoje, precisamos voltar a 1931 e falarmos do químico alemão Adolf Butenandt. Até então havia sido entendido, em grande parte graças às experiência anteriores de Berthold, a importância e os efeitos dos hormônios masculinos, mas foi Butenandt quem primeiro descobriu uma maneira de fixar o ponto e purificar o "androstenone" hormonal, e ele o fez através da extração do hormônio a partir de poucos litros de urina. Esta foi uma conquista inovadora e apenas o começo do avanço, como se viu nos anos seguintes: o esteróide anabolizante realmente nascer e evoluir.

Pouco tempo após a realização Butenandt, outro colega químico alemão Leopold Ruzicka desenvolveu uma forma de sintetizar o hormônio tornando-o seguro para o uso humano (UAU!). Logo após esta enorme descoberta a bola de neve foi posta em prática e, em 1935, Ruzicka juntamente com Butenandt desenvolveram o primeiro lote de testosterona sintética. (3) Este foi sem dúvida o alvorecer quando se trata do uso de esteróides anabolizantes e da sua história. A descoberta foi tão profunda, que tanto Butenandt quanto Ruzicka em 1939 receberam o Prêmio Nobel pelo trabalho em química. Só de pensarmos que um Prêmio Nobel foi concedido devido à ciência dos esteróides anabolizantes é algo alucinante!

A pesquisa continuou, e no fim dos anos 1930 o primeiro lote de injeções de Propinato de Testosterona foi administrado em seres humanos. Na União Soviética o uso de esteróides anabolizantes estava se tornando comum na década de 1940. Durante esta década, a União Soviética foi a força dominante no atletismo graças ao uso de esteróides, mas esse domínio foi de curta duração graças ao doutor Dr. John Ziegler, médico da equipe olímpica do EUA, que encontrou uma maneira de desenvolver rapidamente a methandrostenolone , a grande conhecida Dianabol ou Dbol . (13) A Ciba Pharmaceuticals foi a primeira a comercializar o medicamento, e em 1958 o Dianabol foi aprovado pelo FDA para uso humano. A Ciba não parou por aí, na verdade ela estava abrindo as portas para milhares de experimentos em sintetizar esteróides anabolizantes e derivados. (15)

Melhorando o desempenho

Com os avanços de Ziegler nos Estados Unidos, bem como seus novos conhecimentos a respeito do uso de testosterona encontrada entre os atletas soviéticos, levantadores Olímpico dos EUA logo fizeram com que a testosterona e do Dianabol fizessem parte da sua rotina regular. Através desta combinação, os atletas dos EUA se compararam com seus rivais soviéticos, nascendo à partir daí a era de "como melhorar o desempenho nos esportes".

Devido às evidências, o fato não poderia ser ignorado, afinal de contas, percebeu-se o impacto que as drogas estavam tendo sobre os atletas, foi nada menos que fenomenal. Numerosos médicos dos EUA começaram a implementar estudos próprios, em grande parte em um esforço para conter o uso de esteróides anabolizantes entre atletas, uma vez que estava crescendo rapidamente. Vários estudos foram publicados citando o uso de esteróides anabolizantes e que estes não têm efeito positivo sobre o desempenho esportivo, mas os atletas não deram importância; na verdade, ao longo da década de 1960 inúmeros novos esteróides anabolizantes foram sintetizados e não necessariamente tudo que estava no papel aconteceu na vida real. Muito material está disponível até hoje para estudo e novas experiências.

Na Alemanha, talvez mais do que em qualquer outro país, a pesquisa dos esteróides anabolizantes e seu desenvolvimento estava no auge. Através de suas pesquisas, a Alemanha iria se tornar a força mais dominante no esporte em todo o mundo; até hoje a pesquisa alemã desta época é talvez a maior e mais profunda que temos disponíveis. (5)

Através da década de 1960 e na década de 1980, a expansão dos anabolizantes estava em andamento; ano após ano veriamos anabolizantes novos e melhorados bater as prateleiras da sua Farmácia local. O Isolamento e a alteração de hormônios estava sendo aperfeiçoada; a esterificação da testosterona foi melhorando com o tempo, quase que diariamente, e as opções parecem ser infinitas. Nesta fase no jogo, se você tivesse um gosto por esteróides anabolizantes então certamente haveria algo para você.

Nos anos 1970 a projeção dos concursos Mr Universe, Mr Olympia, o filme Pump Iron estrelabdo Arnold e os demais atletas da época, dentre outros acontecimentos isolados, projetaram bastante os esteróides na mídia, afinal de contas como um ser humano normal poderia chegar a um físico tão desenvolvido como o daqueles homens?

Esteróides em Olimpíadas

Em 1967 o uso de esteróides anabolizantes foi generalizado entre os atletas olímpicos, especialmente entre os levantadores de peso, e apesar de muitos médicos inflexíveis dos EUA declararem nenhum benefício para o uso de esteróides anabolizantes e desempenho atlético, mesmo apesar disso o Conselho Olímpico Internacional (COI) proibiu o uso dos esteróides anabolizantes; pouco depois, a maioria dos principais órgãos iria seguir o exemplo. Em 1972 teríamos testemunhado o primeiro tiro disparado na guerra iminente dos esteróides, como era até então, o COI começou a implementar um programa em tempo integral para testes de drogas em todos os atletas. ( 8 )

Com os testes das drogas o COI encontrou um novo lugar, à primeira vista pode ter parecido um buraco negro para os atletas o uso de anabolizantes nos esportes. O programa de testes do COI usava um método aparentemente "à prova de erro" conhecido como o simples "teste de testosterona / epitestosterona". Os níveis de testosterona eram medidos, o que pode ser feito facilmente através de exame de sangue ou de urina para um grau menor. Se os níveis de testosterona encontrados forem 6x maior que os níveis de epitestosterona, o COI poderia facilmente assumir que a testosterona exógena estava sendo utilizada. É quase impossível para qualquer indivíduo normal ter uma relação maior que 6:01 desses hormônios anabólicos, mas também era fácil driblar isso, então a ciência precisava dar um passo à frente no jogo. Graças às pesquisas alemãs, foi sabido que alguns esteróides permitiam que a testosterona fosse usada e "limpa" do sistema em menos de três dias, deixando o atleta pronto para competir e submeter-se a exames. Um atleta poderia administrar terapia de testosterona durante todo o treinamento até três dias antes do teste, parar e estar limpo, livre! (6) Como se isso não bastasse, a Jenapharm alemã conseguiu desenvolver um epitestosterona sintética para os seus atletas que permitia 100% de garantia em todos os níveis hormonais, eles estavam dentro das diretrizes do COI. Você pode apostar, é seguro dizer que a Alemanha deu ao COI o desafio de sua vida.

A Alemanha passou desapercebida pelo COI durante muitos anos, até o início dos anos 1990 quando finalmente foram pegos. Com o escândalo alemão, agora aparecendo em manchetes mundiais, este seria apenas o início dos muitos casos a serem encontrados, mergulhando os esteróides anabolizantes no fundo do caixão, fato que levaria à mídia geral a percepção ruim que tem-se até hoje destas drogas.

Mais revelador que o escândalo alemão, houve outro caso importante de uso de esteróides anabolizantes no cenário Olímpico. Os Jogos Olímpicos de 1988 foram marcados pelo velocista canadense Ben Johnson que derrotou sozinho o americano Carl Lewis em uma corrida que deveria ser uma vitória de Lewis antes mesmo de começar. Depois da vitória, logo se descobriu que Ben Johnson havia usado esteróides anabolizantes como parte de seu treinamento. Ele foi punido, perdeu a medalha de ouro e justamente neste ponto serviu como exemplo real do começo do fim para muitos atletas. A história de Ben Johnson foi descrita por ele em um livro, mais de 20 anos após o fato, onde assumiu ter feito uso de esteróides anabolizantes durante as preparações por recomendação dos próprios treinadores (segundo ele todos faziam uso e paravam na hora certa para não serem detectados nos exames), mas foi sabotado por Carl Lewis durante o teste de urina após a vitória.

A gerra nos esteróides

Nos anos 1970 a projeção dos concursos Mr Universe, Mr Olympia, o filme Pump Iron estrelando Arnold Schwarzenegger, Franco Columbo, Frank Zane e os demais atletas da época, dentre outros acontecimentos isolados, projetaram bastante os esteróides na mídia, afinal de contas como um ser humano normal poderia chegar a um físico tão desenvolvido como o daqueles homens?

Acontece que através dos anos os esteróides anabolizantes foram tornando-se amplamente disponíveis, mesmo nos EUA. Depois de um tempo, a FDA dos EUA iria classificá-los como receita única, mas esta foi uma medida basicamente sem sentido, apenas um rótulo, e os esteróides anabólicos ainda estavam amplamente disponíveis, porém já eram substâncias controladas. Isso mudou em breve, em 1988, quando a maré começou a mudar com a Lei de Abuso de Drogas, efetivamente colocando os esteróides anabolizantes na categoria mais rigorosa, uma que estipulou penalidades legais severas para venda ilegal ou posse com intenção de distribuir. Pela primeira vez desde a sua criação, a posse de esteróides anabolizantes e distribuição foi considerada um crime nos EUA.

Em 1988 a guerra tinha apenas começado e iria levar um golpe fatal apenas dois anos mais tarde, quando o Congresso dos Estados Unidos passariam pela década de 1990 desenvolvendo a Lei de Controle de esteróides anabolizantes, efetivamente rotulada como "Anexo III", juntamente com anfetaminas, metanfetaminas, ópio e morfina, tudo dentro da lei, envolvendo posse ilegal de esteróides anabolizantes ou distribuição, que à partir daí seria vista de forma diferente do que as drogas mencionadas, mas exercendo eficazmente as mesmas penalidades para compra ou venda.

Tem sido sempre interessante notar que, após a Lei de Controle de esteróides, quatro entidades Federais foram chamadas em background para apoiar o projeto: a FDA, a AMA, a DEA e o NIDA, e TODOS se opuseram à proibição e negaram seu apoio! Infelizmente não existem muitos detalhes que podemos citar sobre esta questão; o governo federal ostensivamente vem ignorando os conselhos que pediu à inteligência, onde a falta de apoio raramente tem sido falada desde então. No entanto, durante as audiências para o projeto de lei, todas as quatro agências enfaticamente afirmaram que não houve nenhuma razão médica ou legal para a classificação de esteróides anabolizantes como Categoria III dos narcóticos.

Durante toda a década de 1990, após a Lei original de Controle dos esteróides, notícias sobre esteróides começaram a ficar em segundo plano, e de acordo com os "especialistas", os esteróides anabolizantes foram espancados pela mídia e declarados mortos, tal julgamento não poderia ter sido mais equivocado. Ironicamente, também seria na década de 1990 quando os esteróides anabolizantes começaram a ser utilizados de forma pesada pela comunidade médica para melhorar as taxas de sobrevivência de pacientes com AIDS e Câncer, quando se descobriu que a perda de massa magra era associada com taxas de mortalidade relacionadas a estas doenças (14). Com esta descoberta, alguns dos quatro órgãos mencionados durante a Lei de Controle de esteróides pediram um levantamento da questão por séria perplexidade. Afinal de contas, se os esteróides anabolizantes são ruins para a saúde e vão te matar se você está saudável (como era alegado pelo COI e por toda a parte), por que agora eles se tornaram tão bons e estão salvando vidas? Levante sua mão se você tiver uma boa resposta pra isso...

A Nova Face: Major League Baseball

Desde o ano 2000 os esteróides anabolizantes voltaram às manchetes principais e, à partir dessa época, parece não haver bloqueio para se falar sobre eles; temos agora a guerra contra os altos salários nos esportes de massa. Com o advento dos Pro-hormônios para o mercado graças à Patrick Arnold e o que tem sido tão inadequadamente denominada "Era o esteróide" do baseball, os esteróides anabolizantes logo se tornaram o inimigo público número um.

O frenesi de esteróides no beisebol se tornou um escárnio total aos olhos do público, onde um dos últimos grandes programas de esportes no país em choque citou "estamos surpresos", muitos também estavam, mas era demais pensar que não deve ser feito tanto pelo esteróides como pelo Congresso dos EUA gastando mais tempo e dinheiro na "limpeza" do baseball do que na política doméstica. Como disse Roger Maris, "o homerun é apreciado por todos e com a pressão da competitividade sendo realizada por muitos times e jogadores, era natural a presença dos esteróides anabolizantes para entrar em jogo. Acontece que não ajudou em nada quando Mark McGwire foi flagrado por um repórter como tendo uma garrafa de Androstendione em seu armário. Embora androstendione não seja um esteróide, mas simplesmente um pró-hormônio, a palavra esteróides entrava novamente no círculo de notícias em todos os telejornais".

Pouco depois do infeliz caso de McGwire, o Congresso mais uma vez reuniu-se com uma série de jogadores da Major League Baseball, chamando-os para depor. O circo era visto como uma piada pela maioria do público, mas o Congresso manteve-se firme e reforçou a Lei original de Controle de esteróides de 1990 com a Lei de Controle, agora aparentemente à prova de balas, em vigor à partir de 2004. Neste momento, pró-hormônios foram adicionados à lista e a definição do que poderia ser listado como "Schedule III" assumiu um novo significado. A definição de um esteróide anabolizante, tal como definido atualmente nos Estados Unidos em (41) (A) é um "esteróide anabolizante" e significa qualquer droga ou substância hormonal quimicamente e farmacologicamente relacionada à testosterona (que não estrogenios, progesterona, corticosteróides e dehidroepiandrosterona) (7).

A Idade Moderna

Como a lei se tornou cada vez mais rigorosos o uso, e os esteróides nos EUA como em todo o mundo não mostraram sinais de desaceleração; na verdade todos os sinais apontam para o crescimento. Se você for a um ginásio atualmente e olhar ao seu redor vai perceber isso. O Congresso dos EUA trabalhou para abafar e afastar assuntos relacionados. Por exemplo, entre os 12 alunos de universidades pesquisados ​​em 2000, 2,5% relataram o uso de esteróides pelo menos uma vez em suas vidas, enquanto em 2004 o número foi de 3,4% (9). Um estudo recente na internet também concluiu o uso de esteróides anabolizantes entre os levantadores de peso e fisiculturistas de forma contínua (12), e por todas as contas, não há sinais de que em breve deva parar de ser utilizado no atletismo também.

Além disso, o uso médico de esteróides anabolizantes para uma variedade de problemas de saúde continua, que vão desde o tratamento da Andropausa e Menopausa para acelerar a recuperação em vítimas de queimaduras e ajudar a melhorar a qualidade de vida de pacientes com Aids, Câncer de mama e ajudando a combater e afastar a Osteoporose. A lista é enorme e realmente muito longa e detalhada para ser resumida.

Em suma, medicamente, esteróides anabolizantes são ainda muito usados e com grande propósito, existem milhares de relatos de sucesso. No meio atlético todos desejam ser o melhor, porque o desempenho é sempre recompensado como deveria ser, então o uso de esteróides anabolizantes vai existir e novos métodos e fórmulas serão sempre pesquisados e inevitavelmente encontrados. A história dos esteróides como você pode ver não é algo escrito em um pergaminho, não é um conto de fadas, a sua história começou há muito tempo e está sendo escrita a cada dia.

1. Maisel AQ. The Quest Hormone (1965) Random House
2. Kochakian CD. J Nutr (1935) 23 135
3. Kenyon AT et al. Endocrinologia (1938) 23 135
4. Kochakian CD. Handbook Pharmacol Exp (1975) 43 1
5. Química Clínica. 43, No7, 1997.
6. Clausnitzer, et al [artigo em alemão] 1982.
7. Estados Unidos registra Congresso.
8. Toxicol Hum veterinário. 2003 Mar; 45 (2) :97-102.
9. Estados Unidos Bureau of Statistics, 2005.
10. National Institute on Drug Abuse
11. Agência dos Estados Unidos de Combate às Drogas
12. Clin J Med Esporte. 2005 Sep; 15 (5) :326-30.
13. Marti Henneberg, C, et al. J. Pediatr 6; 783-88. 1975.
14. Journal of the American Medical Association, Editorial. 14 de abril de 1999, vol 281, n º 14.
15. Esteróides. Ago 1996; 61 8 :492-503.

Victor Z.
Sarado
Sarado

Mensagens: 826
Pontos: 937
Reputação: 69
Data de inscrição: 25/05/2011
Localização: Atlântida

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A História dos Esteróides Anabolizantes

Mensagem por Gadeia em Seg Jul 04, 2011 11:35 am

Victor!! muito bom o post..

Gadeia
Marombeiro
Marombeiro

Mensagens: 435
Pontos: 585
Reputação: 30
Data de inscrição: 04/02/2011
Idade: 22
Localização: Rio Grande do Sul

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A História dos Esteróides Anabolizantes

Mensagem por Victor Z. em Seg Jul 04, 2011 11:41 am

Gadeia escreveu:Victor!! muito bom o post..

Valeu meu brother Gadeia, gde abco!

Victor Z.
Sarado
Sarado

Mensagens: 826
Pontos: 937
Reputação: 69
Data de inscrição: 25/05/2011
Localização: Atlântida

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum